fbpx

O Brasil é o líder mundial no número de profissionais cirurgiões-dentistas, com cerca de 363 mil profissionais atuantes no país (Fonte: Conselho Federal de Odontologia, 2021). Mas, como essa história começou? Quem foi considerado o primeiro dentista do mundo?

Antes de mais nada, como essa história começou?

Quem foi considerado o primeiro dentista do mundo?

A princípio, para começar a construir a linha do tempo dessa profissão, tão essencial, é importante entender que a ciência de cuidar dos dentes nasceu há milhares de anos, ainda na Pré-História. Conforme seus registros mais antigos, datam de 3.500 a.C, na Mesopotâmia. Quando foram identificadas as primeiras doenças que afetavam a arcada dentária.

Dessa forma, algumas vezes, tais doenças podiam até levar o indivíduo a morte. Naquele tempo, a odontologia era chamada de Arte Dentária. Muitas vezes contava com rituais, fórmulas e orações para auxiliar no tratamento.

Entretanto, foi na Europa, considerada o berço da Odontologia, em que surgiram os primeiros relatos científicos sobre essa ciência. Sendo ainda mais explorada através do cirurgião Pierre Fauchard, já no século XVIII, que foi chamado posteriormente o Pai da Odontologia.

Chegada nas Américas

Então, um século depois, os saberes odontológicos já disseminados na Europa chegaram também às Américas. Com a fundação da Society of Dental Surgeons, em Nova York, a criação da primeira escola especializada na prática dental da América. Tal Instituição, localizada em Baltimore.

Além disso, foi feita a publicação do primeiro jornal especializado. O Jornal The American Journal of Dental Science. 

Já no Brasil, os primeiros relatos sobre cirurgiões-dentistas começaram ainda na colonização. A frota de Pedro Álvares Cabral, desembarcou na Bahia em 1500 trazendo técnicas curativas e de extração dentária. 

Na história da Odontologia, são muitos os fatos que merecem destaque. Sem dúvidas, inúmeros nomes importantes contribuíram para a construir e difundir amplamente essa ciência, nos tempos passados e atuais.

Desde o século XVIII, os avanços odontológicos não pararam. Dessa forma, marcos como a fabricação da primeira cadeira odontológica metálica (1871), do sugador de saliva (1882) e a origem do Fluor, em 1886, em Paris, impactaram positivamente a história da profissão. 

Por fim, hoje, as inovações e tecnologias não param de surgir. Por isso, dentistas e pacientes possuem mais recursos do que nunca para manter a saúde bucal.

No entanto, apesar dos desafios enfrentados pelos desbravadores dessa ciência no passado, alguns pilares sempre estiveram presentes na formação da profissão e se mantém nos dias atuais: o cuidado com as pessoas e a preocupação em restaurar a qualidade de vida, a saúde e o bem estar através dos dentes. 

Referências:

  1. Almeida EC de S, Vendúsculo DMS, Mestriner Junior W. A conformação da odontologia enquanto profissão: uma revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Odontologia 2002; 59(6):370-3.
  2. Botazzo C. Da arte dentária. São Paulo; Editora Hucitec, Fapesp; 2000. 
  3. Conselho Federal de Odontologia, 2018. cfo.org.br/website/estatísticas
error: Conteúdo protegido